Carregando
Lembrar? | Esqueci a senhaCadastrar
análise • 3ds 
Project X Zone 2
Escrita por Luis Guilherme Machado Camargo

Project X Zone é um jogo de “estratégia” que tem por principal atrativo utilizar vários personagens de franquias famosas da Sega, Capcom e Namco, como Street Fighter, Virtua Fighter, Tekken, Mega Man, Tales of, Sakura Wars, Shinobi e muitos outros. A novidade de PxZ2 fica por conta de aparições especiais de personagens da Nintendo vindos das séries Fire Emblem e Xenoblade. Infelizmente, a aparição da Nintendo termina nessas duas séries, mas talvez possamos torcer por uma colaboração mais significante numa próxima ocasião.

PxZ2 é uma sequência que traz “mais do mesmo”, ou seja, não corrige os erros de seu predecessor, no entanto, opta por reforçar seus pontos fortes. Assim como o original, PxZ2 é longo e muitas vezes cansativo em longas sessões de jogo. Conforme se avançam os capítulos na aventura, os mapas vão ficando cada vez maiores e os inimigos cada vez mais numerosos, a ponto de algumas missões levarem mais de uma hora para serem completadas. O objetivo de cada capítulo é sempre derrotar todas as unidades inimigas com pouquíssima variação em raros momentos. É bastante cansativo jogar dois ou três capítulos em sequência, porém em pequenas doses esse problema é inexistente.

 

 

Apesar de ser tecnicamente um RPG estratégico, PxZ2 possui pouquíssimas características de estratégia, sendo que seu maior foco está no seu sistema de combate que, por sua vez, remete a um jogo de luta simplificado, que utiliza combos pré-definidos e diversas mecânicas que dependem do tempo de execução desses combos.Vale ressaltar que a execução desses combos é simples, utilizando apenas o botão A em conjunto com o direcional, portanto não há preocupações em como executar um ataque, sendo o mais importante saber quando executá-los. Por exemplo, com o tempo de ataque correto, é possível aumentar o dano causado ou simplesmente congelar o inimigo em uma posição para garantir que ataques posteriores acertem.

 

 

O sistema de combate tem muitas mecânicas, como assistências, especiais, Cross Hits, e PxZ2 ainda introduz algumas novas como, por exemplo, Mirage Cancels. Apesar de tudo, há um excelente e extenso tutorial que explica muito bem o funcionamento e vantagens de todas essas mecânicas.

O combate em PxZ2 tem algumas diferenças em relação ao seu antecessor. É possível executar apenas três combos e vários deles têm propriedades como dano alto, envenenamento, paralisia, quebra de defesa, entre outros. Caso um combo não tenha sido utilizado em um combate, o mesmo recebe um bônus de dano para a próxima luta. São mecânicas interessantes que tentam forçar o jogador a variar os golpes conforme a necessidade, porém, há muitos que são redundantes e, após melhorar alguns poucos golpes, não há incentivos suficientes para variá-los.

 

 

Apesar da variedade nos ataques ter falhado, não posso dizer o mesmo em relação aos personagens e suas interações. Há um número considerável de “veteranos” do primeiro jogo, no entanto, muitos desses estão como equipes completamente novas. Também existe um grande número de novatos, vindos de séries como Yakuza, Phoenix Wright e God Eater 2, cujas interações são espetaculares. Quanto mais séries e personagens conhecer, maior será seu proveito das pequenas piadas e referências que são feitas.

 

 

Veredito

Project X Zone 2 foi pensado para aqueles que gostaram do original. Há novas interações, uma nova aventura, novos personagens e o sistema de combate recebeu pequenos ajustes que o diferenciam de seu predecessor. No entanto, por ser “mais do mesmo”, pessoas que não gostaram do original não têm motivos para se interessar por esse, e aqueles que ainda não conhecem a série, podem optar por procurar o original simplesmente por estar mais barato atualmente.

Jogo analisado com código fornecido pela Bandai Namco. 

 

 


7,0
COMENTáRIOS • site
Escroticeiloveyou
13/03/2016 s 19:17
YTe onde eu saiba esse jogo ta sendo melhor avaliado q o 1, e a media ta entre 6 e 7.

O Blast é uma piada jornalistica e amadora. Por isso nao entro mais naquele boteco. Esse 9 horroroso maior prova disso XD

Nao a toa o UBR é o unico site br de games a ser contabilizado no metacritic (segundo a wikipedia).
Barata
13/03/2016 s 17:08
Agradeço por mais esta análise, é bom saber o que esperar de um jogo antes de comprar, a nota no geral não é decisivo na escolha, saber que tem fatores que busco em um game é melhor, não deem muita importância aos comentários negativos e continuem com o excelente trabalho!
Seph_luis
12/03/2016 s 00:08
@Thistom

Talvez possa ser do próprio PxZ2 então e eu não tenha encontrado.
Thistom
11/03/2016 s 22:57
Esses jogos eu conheço que ela participa.
Mas fizeram um de shooting que tem como jogar com ela.

Sempre mostrava no final do trailer do project x zone 2 japonês, junto com as coisas da edição especial.

Seph_luis
11/03/2016 s 19:23
@Tristom

Até onde eu saiba, a Xiaomu só apareceu nesses crossovers e no Robot Taisen OG Saga, ambos desse ultimo ficaram apenas no Japão

https://en.wikipedia.org/wiki/Super_Robot_Taisen_OG_Saga:_Endless_Frontier
https://en.wikipedia.org/wiki/Super_Robot_Taisen_OG_Saga:_Endless_Frontier#Super_Robot_Taisen_OG_Saga:_Endless_Frontier_EXCEED

O mesmo vale para Namco x Capcom que foi o primeiro jogo q ela apareceu
Voliver
11/03/2016 s 17:55
O jogo é ótimo, mas só recomendo a compra MESMO para as pessoas que curtem SRPG e conhecem a maioria dos personagens participante no jogo.
Thistom
11/03/2016 s 17:52
Eu quero saber daquele jogo de shooting com a Xiaomu que mostrava junto com o trailer japonês de project x zone 2.

Queria jogar aquele, só lançou no Japão?
Estrujo
11/03/2016 s 17:50
"Um 7 no WB é basicamente um 5 em outros sites."

Nintendo Blast : 9,0
NewD2Boy
11/03/2016 s 14:38
Um 7? esse jogo é muito louco, mas vai cada um tem sua opinião e tem que ser respeitada e eu respeito, mas ele mais que 7.
WTF Ivysaur
11/03/2016 s 13:25
Um 7 no WB é basicamente um 5 em outros sites.

Apenas usuários cadastrados podem comentar.

Se deseja realizar seu cadastro, clique aqui.

COMENTáRIOS • facebook
análises recentes
switch
switch