Carregando
Lembrar? | Esqueci a senhaCadastrar
Lembrar? | Esqueci a senhaCadastrar
artigo 
Mercado Mobile - Um Novo Mundo Novo
Postado por Adriano Francisco
Nos últimos dias fomos atormentados por diversas noticias envolvendo grandes produtoras de games e o mercado de games mobile. Alguns jogadores, assustados com as noticias e principalmente pelo fato de algumas empresas mudarem seu foco totalmente para o mercado mobile, espalham um medo crescente no qual a industria atual de games perderia completamente seu rumo e seria apagada da superfície da terra. Um medo que se propagou com muita força e não raro os jogadores, amante dos consoles tradicionais, acabam comprando a ideia de que o mercado mobile é prejudicial e supérfluo. Com o intuito de esclarecer um pouco essa questão, aliviar as tensões e ajudar no entendimento da situação atual, vamos desenvolver um pouco mais o tema referente ao mercado mobile e esse artigo pode ajudar alguns jogadores a manterem a calma e aceitarem com mais facilidade mudanças normais que ocorrem em qualquer segmento.
 
Medo do Escuro
 
Sabe o motivo de muitas crianças e até mesmo adultos terem medo do escuro? Pense um pouco a respeito, o que o escuro tem de tão assustador? Isso mesmo, ele nos deixa sem sabermos o que realmente está acontecendo ao nosso redor, ele nos apresenta o poder de algo desconhecido. Quando você não sabe com o que está lidando, então suas expectativas aumentam drasticamente, você começa a imaginar coisas sem lógica, suposições que na sua cabeça apavorada podem fazer todo o sentido, mas que na verdade são apenas suposições. O problema é que você não consegue provar se suas suposições são reais ou não e aí vira uma bagunça mental, naquela escuridão toda, que te faz puxar a coberta até a cabeça suando de calor. Você tem medo do desconhecido. Esse mesmo medo, trazendo para a situação atual em relação ao mercado mobile, faz com que muitas pessoas criem um sistema de proteção mental que os faz torcer o nariz toda vez que pensam nesses tais jogos mobile. Temos muitos jogos ruins nos cenário mobile, mas também temos muitos jogos bons e quando você conhece algo apenas superficialmente, quando sua mente aceita sua visão limitada como verdade absoluta, então, o medo do escuro toma forma e alguém precisa acender a luz antes que você saia correndo apavorado. Eu não vou citar uma lista de jogos mobile decentes, pois não cabe ao artigo, apenas quero frisar que temos uma fatia de jogos ruins e outra fatia de jogos bons. Isso é possível e acontece realmente, basta uma rápida pesquisa na internet para você ter acesso a jogos de qualidade inegável.
Com esses dados em mente, traga a situação atual para consoles de sucesso, como Wii por exemplo. Wii vendeu muitas unidades, seu sucesso em vendas é inegável, porém há muito lixo na sua biblioteca, assim como há na biblioteca do também famoso PS2, mas isso não tira o mérito dos jogos bons que esses mesmos consoles possuem. Se julgarmos pela quantidade de jogos ruins lançados e usarmos como base para provar que o console tal é um lixo, infelizmente, poucos consoles passarão por essa peneira, afinal, com o sucesso em vendas, abre-se portas para jogos de todos os tipos, inclusive jogos horríveis. O que estou querendo mostrar é que o preconceito em cima dos jogos mobiles tem uma visão limitada da situação, você pode não ter gostado de um ou mais jogos para celular, porém nivelar todos os outros jogos da plataforma como ruins, apenas pelo fato de que você não soube ser seletivo, é lastimável.
 
A História se Repete

 

 


 

Você sabia que os vídeo games já passaram pela mesma situação do mercado mobile? Sim, tão idêntica que se você não conhece a história eu tenho a obrigação de apresentar alguns fatos.

Na década de 80 o mercado dos games que conhecemos hoje era liderado pela empresa Atari, uma poderosa na época que detinha lucros absurdos na época. O mercado crescia de maneira descomunal e um movimento se iniciava: Uma leva gigantesca de jogos eram lançadas para o console Atari. Isso se iniciou com nossa velha conhecida Activision, que abriu as portas mostrando para o mundo que qualquer pessoa poderia criar seu jogo e lançar para o Atari, não havia nada que impedisse tal procedimento, pois o modelo de mercado da época aceitava tal pratica. Assim meus amigos, qualquer microempresa, boteco, lanchonete, enfim, qualquer um teria a possibilidade de participar desse mercado emergente, com lucros altíssimos e ter jogos produzidos e lançados de maneira acessível. E foi justamente o que aconteceu. Assim como atualmente o mercado de games mobile está acessível com facilidades incriveis e recebe muito lixo, assim era na época do Atari, recendo jogos ridículos, mediocres e que envergonhavam qualquer fã dos games. Nessa bagunça geral a Atari não conseguiu reverter o quadro e a industria de games passou por uma crise que foi conhecida como o “Crash” que quase culminou com o fim dos consoles como os conhecemos. Fácil perceber como essa situação é identica ao que vivemos atualmente com o mercado mobile, mas a questão é como que, mesmo passando por tudo isso na época da Atari, mesmo assim o mercado de games se consolidou e se mantém vivo até hoje?
 
Fomos Salvos
 
A culpa de tudo é da Nintendo, sim, ela revolucionou o mercado de games na época. A Nintendo lançou no mercado ocidental o seu famoso Famicon, que já fazia grande sucesso no Japão, mas ainda não havia conquistado o mundo. A Nintendo mudou o nome do console e o lançou como um simples brinquedo, o motivo mais solido para essa tomada estratégica era justamente para mudar a imagem que a Atari deixou no mundo dos games, assim a Nintendo tomaria para si essa fatia do mercado que estava carente de bons jogos, mas sem se apresentar como um console tal como o nosso amado Atari e concorrente da época. Ela lançou o NES – Nintendo Entertainment System ou Sistema de Entretenimento Nintendo. Não havia ligação alguma com o passado dos games e a Nintendo foi mais longe, sendo esse seu tiro mais certeiro para salvar a industria: Somente jogos licenciados poderiam ser lançados para o NES. Entendem? Ela estava assegurando a qualidade dos jogos que o console receberia, estava cortando o mal pela raiz, chega de jogo sem qualidade, intencionavam reescrever a indústria do games e limitar os lançamentos. E assim se deu. O NES foi um sucesso, todos sabemos disso, porém, estamos tentando entender como isso se encaixa no cenário atual. Percebam que o mercado mobile recebeu o mesmo tratamento que o console da Atari recebia na época do "Crash" da indústria de games em 1983. A situação é a mesma, porém houve salvação e tudo se transformou na incrível geração que presenciamos atualmente, com jogos magníficos, possibilidades quase infinitas e tantas novidades que precisamos filtrar o que realmente nos interessa. O que impede de o mercado mobile receber o mesmo tratamento? Digo mais, a Nintendo já se pronunciou e disse que vai mergulhar nesse mercado emergente e até mesmo destacou ninguém menos que Hideki Konno, famoso produtor da série Mario Kart, ou seja, ela não está de brincadeira, entrará com qualidade como sempre faz e pode novamente mudar o rumo de uma indústria vista por alguns como carente de qualidade. Não só a Nintendo, mas a Konami assumiu interesse pelo mercado mobile, indo além, deixando claro que seu foco estará voltado para esse novo mercado. Estamos presenciando acontecimentos históricos, uma nova era pode estar se erguendo diante de nossos olhos e o mercado mobile pode sim se destacar de maneira eficiente.
Não acredito que o mercado mobile possa migrar os jogadores dos consoles para essa nova plataforma, mas ele pode sim coexistir com os consoles sem problema algum. É uma fatia diferente, estão voltados para públicos diferentes e mesmo que demonstrem a mesma proposta dos atuais consoles portáteis, ok, não teremos problemas se houver qualidade nos games. Imagine você centralizar tanto seu portátil como seu celular em um único aparelho, trazendo mobilidade, facilidade e não venha reclamar da tela touch, estamos falando de algo diferenciado, que pode sim ter controles, que pode inovar, afinal, já vimos isso acontecer anteriormente, a história nos mostra que isso é possível. Pense na situação real, sem seu preconceito, pense nas possibilidades e de empresas de qualidade se interessando por esse mercado, A solução é esperar, parar com tanta preocupação, jogar, se ocupar com seus games e aguardar pra ver o que virá. Lembre-se de que é possível sim e isto basta por hoje.
COMENTáRIOS • site
Ro.G.er_Silver
26/06/2015 às 11:00
Eu não troquei os consoles por PC. E não vou trocar os portáteis por Smartphones.
Não gosto de plataformas que não foram feita pra jogos, de repente começa a rodar jogos.
Não importa se o poder de processamento aumentou, jogar ainda é horrível. Os jogos a qual estamos acostumados tem de se adaptar para a tela do celular na forma de se jogar.
Por exemplo, jogos de corrida, o carro anda sozinho, e você tem que esfregar a tela para a direita e a esquerda. Na minha opinião, isso é RIDÍCULO!
Jogos de plataforma, o personagem tem que andar sozinho, e você tem que tocar na tela para ele pular. Aí eu lembro de um bom Mario Kart, um bom Sonic 2D, um bom Need for Speed, e penso que muita coisa se perderia se eles rodassem numa tela de smathphone ou tablet.
Então, a possibilidade é de surgirem jogos novos! E é aí que entra outro problema, os jogos tem que ser reinventados, e chegam sem graça. Alguém já jogou N.O.V.A.3? Você trocaria seu Blattlefield ou Call of Duty para a jogabilidade horrível de uma tela de toque? Já jogou Angry Birds? Trocaria o bom e velho Mario Bros para ficar atirando passarinhos em blocos com porcos?
Não são os Smartphones que estão chegando e mudando tudo, e sim as pessoas que estão mudando!
Porque as pessoas não tem mais aquela necessidade de se divertir com jogos pagando caro num console e instalando ele na TV, porque desde criança, a vontade de jogar um joguinho chega e passa num simples tirar do bolso, jogar e colocar de volta. O público está se dividindo porque ainda existem pessoas que querem ter a pilha de jogos na estante.
26/05/2015 às 13:42
@Visionare,

Seria bacana demais, acredita que eu achei que o Wii U era isso quando foi anunciado? Pois é, demorei alguns dias para entender que o gamepad era apenas um simples controle.

Por isso que eu acho que agora será um tablet no estilo brinquedo, está vendendo como água no mundo todo.
Visionnaire
26/05/2015 às 08:52
@Al-Rashid
Verdade! Não dá pra negar que a ideia é boa, eu acredito que há potencial nessa ideia e seria interessante unir dispositivo portátil, console e mobile. Sério, eu penso mesmo que seria uma ótima ideia!
Al-Rashid
25/05/2015 às 21:43
O PSVITA em tese faz isso com jogos de PS3 3 PS4, mas como ninguém compra o console...
dns
25/05/2015 às 21:37
Independente da Plataforma eu quero é bons jogos e ideias novas criativas.

Ah e sem contar o aumento do Mobile e queda dos consoles (mesa e portátil) também está acontecendo um bom crescimento de jogos de PC (Steam, Mobas, Minecraft, etc).
Visionnaire
25/05/2015 às 20:16
@patolouco
Eu pensei em um console como o Wii U só que o gamepad teria independência, autonomia, você jogaria em casa seu jogo preferido e ao sair, apenas precisasse pegar o tablet e ir, pois o mesmo teria tecnologia para deixar você continuar seu jogo ou jogar outros jogos com proposta mais portátil. Seria bacana hein!?
25/05/2015 às 17:58
Galera, a Nintendo já declarou que o NX será um híbrido entre console de mesa e console portátil. Sacaram a indireta?

Ou é um smartphone ou um tablet, eu creio que será um tablet.
Visionnaire
25/05/2015 às 17:26
@Escroticeiloveyou
Não se ofenda, pois eu não tive essa intenção, infelizmente na internet tudo pode parecer agressivo, depende muito da recepção de quem lê. Eu não fiquei ofendido, quem me conhece sabe que eu não tenho esse perfil de "mimimi falaram mal do meu artigo".
Apenas disse que para descredibilizar o artigo da maneira como fez você poderia ter argumentado assim como o fez agora e ponto. No mais, eu penso do mesmo modo quanto as opiniões, afinal você tem sua visão e eu a minha, nada de verdades absolutas aqui. Não estou aqui pra mudar seu pensamento, muito pelo contrário, eu atingi meu objetivo expondo o que eu penso sobre o assunto e a vida segue. Espero que tenha entendido meu ponto de vista e não tenha se ofendido, não é essa a tonalidade do meu comentário.
Escroticeiloveyou
25/05/2015 às 17:08
Foi mals Visão, tô com a impressão que vc se ofendeu mas mantenho todo o comentário anterior.

Se vc acha que só é valido contestar apresentado argumentos problema é seu.
Dei uma pincelada do que penso e não me estendi propositalmente pq não quero e nem irei ficar escrevendo textos inúteis. Passei a ser do tipo que prefere gastar menos tempo com isto (não que as discussões sejam inúteis, mas é tudo achismo, opinião e suposição já que não existe verdade absoluta).
Acontece que nem por isto vou deixar de dar minha visão quando o assunto me interessar.

E que eu achei o seu texto equivocado vc já entendeu. Sobre seu comentário tbm acho incoerente.
Olha, vê se te consola e para de me encher o saco pq não gostei do que vc escreveu:
"são apenas comparações de eras idênticas" do que adianta falar das similaridades se as condições pra elas são completamente diferentes? Já começa que no CRASH era ainda inicio de uma nova forma de entretenimento, enquanto que mobile é universal e tem um bom histórico pra se servir de exemplo. Até disseram ali em baixo que no mobile tem grandes jogos bons enquanto que no crash nem sequer havia um bom game.
E "mesmo que demonstrem a mesma proposta dos atuais consoles portáteis, ok, não teremos problemas se houver qualidade nos games." demostra o quão passivo-agressivo vc foi. Me soou como orgulho e elitismo das plataformas tradicionais em detrimento para com o mobile justamente por não ser uma máquina pensada exclusivamente para o desenvolvimento de games.

OBS: Não que eu tenha que justificar pra provar qualquer coisa mas, NUNCA joguei games mobile, no máximo snake do nokia e não tenho interesse na plataforma.

Sério. Isto é chato e cansativo.
Continuo não concordando e ponto.
Já contextualizei um pouquinho pra vc.
Agora pelo menos para de reclamar comigo só pq discordo de ti. Não tenho culpa se vc tomou minha visão como verdade incontestável. É imaturidade demais ter que sempre escrever 'minha opinião', quase como uma desculpa pros sensíveis imaturos que a entenderem como absoluta. É obvio que é apenas visão pessoal e isto de forma alguma desqualifica as opiniões opostas.
Se alguém fizer algum comentário que me fizer mudar de ideia, eu me reitero.
Té lá...
Visionnaire
25/05/2015 às 15:45
@Rhyel,
Lembro bem desse periférico, era badalado na época, porém eu ainda acredito que o as mudanças atuais sejam mais significativas. Estamos vendo uma empresa que investe exclusivamente em games, no caso a Nintendo, dedicando uma pessoa chave somente para gerenciar tal projeto mobile. Penso nisso como um claro sinal de que agora o mercado pode sim virar de um jeito positivamente agressivo, pelo menos é o que parece. É claro que são suposições, afinal, só o tempo dirá.
Rhyel
25/05/2015 às 15:19
@Visionnaire
Mais ai é que está a Sony já tentou isto umas duas vezes, teve um smartphone dela que puxava de slide os botões e o PSVita para mim já é meio um híbrido também. Só faltou rodar android e aceitar jogos para smartphone.
Visionnaire
25/05/2015 às 15:12
@Rhyel
Justo, pois eu também acredito que essa demora na transição tranformou o cenário da maneira que o vemos hoje. Fato é que o celular, por toda sua praticidade, pode logo aparecer com um sistema bacana para uso de comandos que não sejam exclusivos de toque na tela. É esperar pra ver.
Rhyel
25/05/2015 às 14:55
O problema não é o medo do desconhecido. Eu posso não saber os rumos do videogame, mas nas empresas muitas decisões sobre os próximos 3-5 anos já foram tomadas. E só agora estão dando as caras.

Vamos a uma constatação: Level-5 lança vários jogos no 3DS e só um com grande apelo da molecada vende milhões que é Yokai Watch, mesmo segundas versões lançadas logo em seguida, mais milhões. Mas jogos como Fantasy Life e Professor Layton, não chegam nem perto. Chegaram a conclusão que os jovens migraram para os smartphones, resolveram lançar estes jogos lá em mobile, mas já foi tomada esta decisão há tempos.

Outra constatação: Antigamente para um videogame fazer sucesso tinha que ter JRPGs e jogos de Estratégia. Hoje o gênero é quase ignorado, e teve vários lançamentos que não passaram de 250.000 vendidos. Isto falando do 3DS onde um em cada 10 japoneses tem um. Sim Fire Emblem Awakening e Project x Zone foram exceções, incrivelmente nos EUA.

A pergunta que as empresas fazem é: Onde foram os jogadores da geração NDS? Resposta: 70% ou mais migraram para os Smartphones. Ai vem outra pergunta: Então porque não desenvolvemos para Smartphones? Resposta: Demorou...

A diferença do Atari é que saiu jogos ruins somente, tinha cada jogo pior que o outro e ET é só um exemplo. Pode ter jogos de Smartphones bons, só falta lançarem um acessório competente para acoplar e ter botões físicos compatível com muitos modelos, ai sim será o fim.
Visionnaire
25/05/2015 às 13:31
@Escroticeiloveyou
Falacia? Apresente seus argumentos, mas não tire a credibilidade do artigo só pelo fato de você discordar do mesmo.
O mercado mobile não está em Crash, eu não disse isso, apenas comparei a situação atual do mercado mobile com a situação na época dos consoles, que infelizmente era justamente na época do tal "Crash". Citei as similaridades e não estou julgando o mercado como falído ou dependente de salvação, são apenas comparações de eras idênticas.
Meus argumentos estão no artigo, você pode perceber citações justas da situação atual, sem preconceito, apenas apresentando realidades e você tem total liberdade de citar os seus argumentos.
Escroticeiloveyou
25/05/2015 às 13:00
Falacia.
Mobiles não tão num CRASH.
Tem TANTA coisa boa. Até mesmo consoles e portateis vez em quando recebem ports de games mobiles, e estes recebem com frequencia ports dos consoles e portateis.
E ai está a gigante diferença entre esta e a época do crash.

Nintendo, não duvido, será um expoente de originalidade e qualidade constante e assim ajudará a competição saudável. Mas mesmo antes dela já tem coisa boa sim.

E meu amigo, teu Wii U ganha no máximo 12 bons jogos ao longo do ano e vcs defendem ele com unhas e dentes.
Pq com o mobile não pode ser assim?

Sério, curti as ideias desenvolvidas não.
Achei muito preconceito com o mercado mobile e muito exaltação a Nintendo.
Só acho!
25/05/2015 às 12:10
A fórmula do sucesso desse mercado é ter custo baixo e chances de retorno altas.

@icode,

Pode ser um tablet.
iCode
25/05/2015 às 11:44
Se a nintendo lançar um celular especifico para jogos.. será um mobile ou um portátil? Reflitam...

Se o mobile deixar de existir... muito que bem, afinal a nintendo entrará no mercado de mobiles, para mim trocaremos 6 por meia dúzia pq duvido que ela não planeja algum smartphone para carregar o símbolo dela.

Já penso uma parceria de uma Apple com a nintendo, Iphone SuperStar? Ou uma sanguesung da vida, Mario Galaxy SS?

Hoje a tecnologia se modifica muito rápido, pensamos "ah nossa! nunca que um Xenoblade estará em um celular", ai a nintendo olha para sua cara e pensa "inocente sabe de nada..."

Gente é só sentar, esperar e assistir, ou a nintendo revolucionara mais uma vez o mercado de games e fará muita gente morre por hemorragia depois de morde a língua ou tropeçará de cara na lama e ficará por lá mesmo por um tempo... Triste realidade...
Phantom
25/05/2015 às 10:10
Problema dos mobiles é a falta de padronização.
chico_morris
25/05/2015 às 01:04
Só vão existir consoles de mesa e jogos mobile!!!Os portáteis estao com os dias contados!!
Al-Rashid
24/05/2015 às 23:23
Vamos nessa:
1- Mobile, Smartphones, jogos via face book, tudo já tinha sido notado em 2001 pela própria Nintendo e ao checar o número absurdamente maior de jogadores nessas plataformas ela entendeu que " nosso adversário é o desinteresse". Daí a resposta pelo DS/Wii que ela não soube sustentar direito.

2- O tal Crash não se refere a industria de games, mas aos consoles de mesa. Naquela época pcs eram mais interessantes que videogames e os Arcades estavam a todo vapor. A industria não morreria, mas os consoles seriam um produto de nicho, com baixos investimentos e baixa inovação. Esse foi o mérito do NES. Ao oferecer GAMES INTERESSANTES ele convenceu pessoas a compraram só para chegar a Mario.

3- Hoje o que convence as pessoas a comprar um console de videogame? Se tudo vem picotado, jogos te chamam de estupido, jogos tem suas DRMs, jogos são para ser assistidos e copiam uns aos outros? Jogar no PC parece ser melhor e, para a imensa massa que não compra VGs ( uau 200 milhões de consoles vendidos, mas somos 7 bilhões de seres humanos, logo VG ainda é uma parcela muito pequena de pessoas a jogarem) o celular com todas as funcionalidades está a mão, inclusive jogar. MOBILES são extensões do PC e não dos videogames em console ou mesmo portáteis.

4 - MObiles tem muito lixo? Claro, mas como lembrou o autor Wii, PS2, PS1 ( mais ainda que o 2), mesmo o NES e o Atari 2600 cheios de lixo. Mas não foi pelo lixo que eles viraram sucesso, mas pela quantidade de jogos e a qualidade daqueles jogos chave ( O AVGN é o maior exemplo de como o hype faz os desavisados comprarem qualquer jogo pra depois se arrepender).

5 -Não é muito a minha jogar em mobile, pq simplesmente não curto, mas é a de praticamente todo ser humano que tem um. Crianças estão no mobile, adolescentes estão no mobile, adultos estão no mobile, pq É PRÁTICO jogar nele. Ele passa o tempo, espanta o tédio e pode até ter jogos viciantes, pq o objetivo dos jogos dele é SEREM JOGOS, sem compromisso. Podem ter um milhão de microtansações e maracutaias, mas eles satisfazem um publico enorme que se pegam presos a esses jogos ( Plant vs Zombies, Minecraft, Peegle)todos tem a estrutura perfeita pro público pq sabem mais ou menos o que tem a oferecer. Não tem a pretensão de serem nada além de jogos ( e fontes de renda)

6= Consoles não vão morrer ainda. Mas os riscos, do jjeito que andam as coisas são até ponderáveis. PS4 é lider, mas na geraçlão passada a essa altura o Wii e DS pontuavam muito mais que eles todos juntos hoje. Qual a diferença? Interesse. Eles eram interessantes. Hoje tem muita gente desapontada com o WiiU One e migrou pro PS4 fora o normal crescimento populacional e a contagem de outros mercados. PS4 levou a geração pq fagocitou o mercado dos outros, como o PS2 fizera antes, mas o modelo de negócios até aqui só caminha para a escuridão.
Rafael Bueno
24/05/2015 às 23:22
Lembrete: jogos de Celulares nunca irão dominar o Mundo! (apesar de eu gostar de Terra Battle e Crossy Road)

Apenas usuários cadastrados podem comentar.

Se deseja realizar seu cadastro, clique aqui.

COMENTáRIOS • facebook
artigos recentes