Carregando
Lembrar? | Esqueci a senhaCadastrar
prévia • switch 
Rime
Escrita por Fábio C. F. Santos

A Gamescom é um evento que acontece na Alemanha e é destinado aos produtores de games, em que se reúnem para apresentar as principais novidades pós-E3 e potenciais novos títulos. A edição de 2013 foi marcada por grandes anúncios e revelações, no entanto, durante a conferência da Sony, eis que surge RIME, um game independente e despretensioso que mostra um garotinho acordando em uma ilha após um suposto naufrágio.

Rime apresenta uma aventura cheia de desafios e mistérios, em que o jogador deve ir desvendando-os ao seu próprio ritmo, enquanto interage com a vida selvagem e se depara com itens escondidos pelo cenário. No decorrer dessa aventura exploraremos ruínas repletas de puzzles criativos. O jogador deverá usar o som, a luz, perspectiva, escaladas e até manipulação do tempo para solucioná-los.

 

Diferente de outros games que proporcionam uma atmosfera imersiva e que torna a experiência com puzzles mais significativa, Rime pode não ser o tipo de aventura tradicional que muitos possam estar esperando, uma vez que o jogo te leva diretamente de um puzzle para o outro. Entretanto, não seria justo dizer que o mesmo foca unicamente nisso, já que a exploração também é uma das propostas presentes.

Sua narrativa sutil é amplamente confinada em contos ocasionais em determinados ambientes. Portanto, para aqueles que quiserem se aprofundar mais na história, terão de rastrear por pistas em itens escondidos pelo mundo. E mesmo que muitos possam estar esperando por uma história mais elaborada, Rime faz juz com uma variedade justa de puzzles que prometem entreter o jogador. Uma pequena raposa também aparece para indicar o caminho para o próximo puzzle, durante a progressão.

Produzido pela Tequila Works (Deadlight, The Invisible Hours) e publicado até então como um indie exclusivo pela Sony, Rime traz visuais coloridos e uma proposta que vagamente pode remeter a The Witness, clássico game baseado em puzzles lançado para PS4/PC. Embora carismático e deslumbrante, seu desenvolvimento mostrou-se conturbado, o que fez com que o título ficasse esquecido por um bom tempo, levantando suspeitas sobre um possível cancelamento. É quando durante a Gamescom 2016 que o CEO da Tequila Works, “Raul Rúbio”, esclarece ao site “Ibtimes.co” o que havia ocorrido de fato:

“Iniciamos o desenvolvimento em 2013. A medida que íamos adicionando conteúdo, o título cativava cada vez mais e mais pessoas. Penso eu que isso não deveria ser modificado. Então, ao final de 2015 pudemos readquirir os direitos da franquia e pensamos que essa foi a melhor decisão para Rime”, explica Rúbio.

Rúbio também ressalta que o título foi revelado cedo demais, quando o projeto ainda não tinha maturidade o suficiente. Devido a isso, optaram por não mostrarem nada até a revelação de que se juntaram em uma parceria com a “Six Foot” e “Grey Box”, que viriam a ser as novas publicadoras do título, tornando-o assim um jogo multi-plataforma.

Apesar de não possuir combates, o título da Tequila Works oferece uma experiência única, em que faz uso de gráficos em cell-shading, e promete uma jornada repleta de descobertas. Com lançamento marcado para 26 de maio nos outros consoles, o game foi recentemente anunciado para o Nintendo Switch. A “Tantalus Media” é a responsável por portar o game para o novo console da Nintendo. Contudo, o mesmo ainda não tem data para chegar e custa US$10 mais caro que nas outras plataformas. Questionados, a editora esclarece que os custos para desenvolvimento da versão Switch são maiores. O site “Eurogamer.net” especula que os custos extras de produção ficam por conta dos cartuchos do Switch que são mais caros que os Blu-ray convencionais.

COMENTáRIOS • site
Nenhum comentário encontrado.

Apenas usuários cadastrados podem comentar.

Se deseja realizar seu cadastro, clique aqui.

COMENTáRIOS • facebook
prévias recentes
switch
wiiu